PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Corpos



É no teu corpo que descubro,
Tudo aquilo que encubro,
Que de aberto se faz rubro.

Um chão de efeito e lânguidez,
À meia-luz conduz à rapidez,
É o dia do meu dia, é minha vez.

O prazer que se pede -Faz!
Se repete, se consagra, mas,
Em meu corpo que respira, jaz.

Sonho, como, te devoro,
Acordo, volto e não demoro,
Repete a cena, te decoro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário