PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

domingo, 27 de abril de 2014

Tu

dentre tantos seres, eras o único,
dentre tantos pares, eras o último,
dentre tantas cores, eras o cético!

entre sonhos loucos, era a aurora,
entre os  planos tolos, era o agora,
entre as chaves tortas, era a  demora!

dentre ventres ocos, eras o alpha,
dentre pontes pênceis eras o Delfos,
dentre noites frias eras o encontro!

entre amores estranhos, tu eras viril,
entre febres latinas, eras o cio,
entre mortes míticas, o meu perfil!