PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

En la travesía del rio


En la travesía del rio,
Dejé mis dracmas,
Hallé mi cio,
Rasgué mis dogmas,
Y pasé frio...

En la travesía del rio,
Dejé mis miedos,
Hallé mi hilo,
Rasgué secretos,
Y pasé frio...
                    Y pasé frio...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Ponto máximo

Meu ponto máximo, 
É teu universo, 
Hedonisticamente 
In verso! 
Eu-cli-dês! 
Teus pés! 
Hercúleo falo...
Te calo! 
Tua boca lá
E eu cá! 

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tear



Indi visível veste vê-se, 
Álibi teu! 
Volta e retorna à Penélope... 
Ulisses mentiroso... Pescador! 
Desfiz o tear, 
Aquele das letras do meu pomar! 
Ilusão marítima, um homem a mar! 

Jantar



Sentarei ao teu lado, esta noite, 
Como uma grega a ouvir-te! 
E mesmo que me açoite, 
Como uma negra a sorrir-te! 
Irei! 
Sentado à mesa,
lembrarás de mim, 
E sorrirás em segredo,
Tomarás o teu vinho,
Sem sentir medo! 
E sim, 
Comerás teu banquete, 
Feito um clérigo...
No teu rezar, serei o latim:
Minha ausência, 
Tua saudade, 
É sempre sem fim! 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Para um homem com H


Queima tua lenha,
Mostra tua cara,
Ouça minha fala,
Troque tua senha!
Abre essa caixa,
Veja meus segredos,
Acalme os meus medos,
Escute minha faixa!
Saia dessa tela,
Viva minha cena,
Escreva-me um poema,
Faça-me tão bela!



domingo, 28 de abril de 2013

Olhos de água marinha



Nos teus olhos
de água marinha,
E em sólidas garras
de lince,
Incendeia o azul
que adivinha,
Inventa uma presa e
te vence,
De profanos desejos
que alinha,
Suspenso a um corpo
que pense,
Nos pés que te leva
... e caminha,
Entornas num corpo
este lance!

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Na travessia do rio

Na travessia do rio,
Deixei meus dracmas,
Achei meu cio,
Rasguei meus dogmas,
E passei frio...

Na travessia do rio,
Deixei meus medos,
Achei meu fio,
Rasguei segredos,
E passei frio...
                      ...e passei frio...!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Viagem do Aguadeiro

Meu Aguadeiro voou,
Se foi pra longe,
A jogar suas pedras,
Pedras certeiras,
Das algibeiras,
Em certos Golias,
De outras paragens,
Belas imagens!

Se foi o Aguadeiro,
A correr mundo inteiro,
Meu amado de Deus,
Era um dos meus!

Da minha tribo,que bela tribo...
Te vejo, altivo, surgir,
E te deixo, pleno, fugir,
E vai-te a estribo!

Perda

Perder-me de ti,
É  perder-me de Deus,
A saudade em si...
E não saber mais dos teus!

Perde-se até o futuro,
Os sonhos, e as fantasias,
São dias no escuro,
Pesadelos medonhos, utopias!

Perca-te de mim,
E perca-se de Deus,
A nostalgia do fim,
E não saber mais dos meus!


Nosso Caso de Amor

Nosso caso de amor, só isso...!
Uma mensagem e-pistolar;
Uma carta pensada;
Palavra cheia de ar!

Nosso caso de amor, deu nisso...!
Uma palavra no teu diário;
Uma mensagem sonhada;
Palavra de operário!

Nosso caso de amor, é isso...!
Uma mensagem de efeito;
Uma carta amassada;
Palavra que aceito!

Devorador de Pecados

Do fio de luz que entra,
Vejo a cruz que ostenta,
De tua marcha lenta!

Um devorador de pecados,
Um amador dos falidos,
Um  defensor dos ralados!

Tua sina é fina até o fim,
Desde o primeiro "sim";
Sai da mina o teu marfim!

Daí a saber da tua beleza,
Como um tigre e sua presa;
Tens o cerne da certeza!

Capturas o que é animal,
A pele, a víscera e a moral;
Um felino surreal!