PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

sábado, 19 de novembro de 2011

Código

Chama
Cama
Dama

Chega
Cega
Deita

Chia
Cita
Dita

Chora
Cora
Doura

Chuva
Cubra
Durma

Senão

Se não tivéssemos errado tanto...
Se não tivéssemos amado tanto...
Se não tivéssemos tentado tanto...

Estaríamos lá, no mesmo lugar!

Se não tivéssemos caído,
Se não tivéssemos sofrido,
Se não tivéssemos banido,

Estaríamos até hoje, sem sonhar!

Se te vejo

É necessário que te veja,
mesmo que não seja,
Pra te amar!

É necessário que te veja,
mesmo que seja,
Pra te beijar!

É necessário que te veja,
mesmo que não seja,
Pra te lembrar...

que não é necessário que te veja,
mesmo que não seja!

domingo, 13 de novembro de 2011

Sunshine

I´m the Sunshine,
Sun without shine;
I´m not fine,
You´re not fine,
I´m still the line;
The swamp´s line;
And I can´t find,
what I want to find...
In your kind mind,
I don´t mind,
Yours or mine!

Lá e cá

O rio é nosso espelho,
Deste lado de cá, te quero!
Do outro lado de lá, me cobres,

O prazer é nossa alegria,
Deste lado de cá, te espero!
Do outro lado de lá, descobres,

Os livros, a nossa fantasia,
Deste lado de cá, te leio!
Do outro lado de lá, me entorpes.

Meias Palavras

O que há de ti em mim?
Tudo enfim...
Até o fim...
Ou não, ou sim!

O que falta de mim em ti?
Há o que parti!
Metade até senti...
E a outra que menti!
Sinto,
Não minto,
Finto!

Descanso,
Não canso,
Avanço!

Proponho,
Não ponho,
Sonho!

Decoro,
Não coro,
Choro!

Mostro,
Não mostro,
Rastro!

Giro,
Não piro,
Miro!

Penso,
Não tenso,
Senso!

Invento,
Não tento,
Vento!

Odeio,
Não leio,
Creio!

Separo,
Não paro,
Imparo!

Reluto,
Não luto,
Culto!

Corro,
Não morro,
Socorro!

Indiferente

Não te surpreendo,
Não te toco,
Não me compreendo,
É um sufoco!

Não te manejo,
Não te domino,
Não me revejo,
É um ferino...

Não te capturo,
Não te atormento,
Não te seguro,
É um lamento!

Não te encanto,
Não te ilumino,
Não te espanto,
É um menino...
Levanta a vela,
que me leva,
só a ti,
A ti só!
E, não há dó...
do outro lado,
Do lado do outro,
Do rio, do sol...
Solar navio,
De rio, de dor,
Da cor do pó,
Polar de cor!