PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

domingo, 5 de junho de 2011

Espirais


Foi aquela canção que ouvi,
Que me fez ver abertamente,
Todos os moinhos de vento,
Que giram pela sua mente!

E como espirais de infinitos,
Lá nos anéis de Saturno,
Circulam feixes luminosos,
Marcando o tempo taciturno!

São também os carrosséis,
No parque alegres a rodar,
E como os balões de carnaval,
Alegóricos no céu a brilhar!

E nos relógios que marcam tempo,
Relativas vidas circulam,
Giram, andam, voam, retornam...
Fazem ciclos que se regulam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário