PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

domingo, 26 de dezembro de 2010

Nossos Poemas

Alguns poemas que são meus, não são  meus de autoria;
Foram-me dados à posteridade como carta de alforria;
Destinados a mim pela inspiração que os criou;
Agora tomo posse e publico a  quem os deixou;

Achado não é roubado, e quando dado não é emprestado;
Fico com eles, e deles darei cabo;
Não como o fim de uma idéia que um dia se fez verso;
Mas como o início daquilo que não tem progresso;

Foi idéia de réplicas e tréplicas, desabafos e declarações;
Podia ser a sublimação de um romance e suas divagações;
Foi o filho que nunca houvera;
A parte boa, a primavera!

Agora, escritos, perdidos e sem pó;
Porque guardados virtualmente, não há dó;
Se estivessem em velhos papéis escritos, mofos, rabiscos
Não! Estão aqui comigo, guardados, esperam que publique-os!

Eu farei como forma de consagrar a fé no amor e na palavra;
Pra dizer no futuro que alguém teve coragem, foi brava;
De dizer em versos, desejos de amor e tristeza
Falávamos de tudo com tanta certeza!

Nenhum comentário:

Postar um comentário