PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

domingo, 26 de dezembro de 2010

Esse nosso amor


Amor cristão
Amor pagão
Esse nosso amor!

Amor filosófico
Amor dismórfico
Esse nosso amor!

Amor mitológico
Amor ilógico
Esse nosso amor!

Amor amigo
Amor perigo
Esse nosso amor!

Amor hipotético
Amor antiético
Esse nosso amor!

Amor edípico
Amor atípico
Esse nosso amor!

Amor ternura
Amor loucura
Esse nosso amor!


Amor aberto
Amor esperto
Esse nosso amor!

Amor divinal
Amor anormal
Esse nosso amor!

Amor puro
Amor duro
Esse nosso amor!

Ah! Esse nosso amor...

RÉPLICA

eu diria que antes de mais nada é

um amor verdadeiro
um algo inteiro
um vento que não é passageiro.

um algo expontâneo,
que parece instantâneo
mas não é momentâneo.

um algo tangível,
parece inatingível,
de repente, fungível.

sim, queima-se como algo impossível,
como algo imcompreensível,
deve ser destruível.

um algo que deve morrer
mas como Fênix a renascer
volta com tudo a querer.

um algo quase fatal,
nos deixa bem, ficamos mal,
por que não ser algo normal?

um algo que já fez feridas,
marcou profundamente nossas vidas,
dilemas de coisas sofridas.

ser um ombro amigo,
ser uma proteção no perigo,
ser um calor no abrigo.

ver uma luz na noite perdida,
ter um afago na alma sofrida,
ser estímulo na mente oprimida.

abraçar um todo por completo
ser um todo, corpo e intelecto
um duo, com singular afeto.

ah esse amor haverá de morrer,
sim morrer, porque não o soubemos ter,
porque nao o queremos ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário