PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Marítima Mente

No límpido mar que navegas;
Do aquoso espelho que enxergas;
À deriva em meio às pragas;
Na imensidão do mar sem regras;
Flutuas como as naus gregas;
À espreita de novas drogas!

No cristalino céu que reflitas;
Do fabuloso mundo que habitas;
À marina em meio às aflitas;
Na silenciosa paz que meditas;
Manobras de longe as malditas;
À busca de praias bonitas!

No marítimo oceano sem flores;
Do misterioso mítico em cores;
À flutuação em meio aos amores;
Na épica do mar sem rumores;
Ancoras sem medo tuas dores;
À vista de sol e sabores!

Um comentário:

  1. O marítimo oceano sem flores;
    Deserto de amores...
    Longínquos sabores...

    ;)

    ResponderExcluir