PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

MITO

Quando se mata um mito,
Mata-se também o rito,
Ritua-se o infinito!

Quando se mata um amor,
Mata-se também o sabor,
Saboreia-se o rancor!

Quando se mata a ida,
Mata-se também a vinda,
Vindo-se além da vida!

Quando se mata a fonte,
Mata-se também a ponte,
Pontua-se o horizonte!

Quando se mata a dor,
Mata-se também a cor,
Colora-se o desamor!

Quando se mata a paz,
Mata-se também a luz,
Ilumina-se e jaz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário