PARA OS AMANTES DA POESIA











"O poeta é um fingidor,

Finge tão completamente,

que chega a fingir que é dor,

a dor que deveras sente."


Fernando Pessoa

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Flor e Borboleta




Hipotético, cético, real amor...
Tétrico, métrico, distante ardor...
De Farfala, fala, virtual torpor...
Culto, belo, como o Lácio compor...

De esculturas, de linguagens, de tanto humor...
Poliglota, sem rota, de mar e muita cor...
Transcende, transborda, transgride o furor...
...do Bucaneiro, furioso, destemido, sem dor...

Aberto como pétala em flor...
Os canais do hipotético, métrico, virtual amor

Um comentário: